Agende sua consulta (011) 3159- 1921 / (011) 3129-3416 / (011) 99180-3987

              

For up to £250 Bonus for sports, use our exclusive bet365 Bonus www.abonuscode.co.uk Claim your bonus and start betting at bet365 now.

Cistites e Infecções urinárias de repetição

Infecções do trato urinário, também chamadas de ITU, são infecções que podem afetar a bexiga, o rim, ou ambos. ITU´s ocorrem quando a bactéria percorre a uretra e atinge a bexiga, causando as chamadas “Cistites”. A ascensão das bactérias pode ocorrer de maneira mais fácil durante relações sexuais. Quando a bactéria que já esta alojada na bexiga continua sua invasão e atinge os ureteres e os rins,essas infecções são chamadas de Pielonefrites.

Tanto as cistites quanto as pielonefrites são mais comuns nas mulheres que nos homens, principalmente pela característica anatômica de uretra curta nas mulheres, com permanente contato da uretra com a secreção vaginal repleta de bactérias. Uma em cada duas mulheres terá uma infecção urinária ao longo da vida, portanto é fundamental o esclarecimento das mulheres, mais expostas a esse risco, para o pronto tratamento dessa afecção.

abdominal painQuais são os sintomas de cistite?

  • Dor ao urinar, também chamada disúria
  • Aumento da frequência das micções
  • Urgência para urinar
  • Presença de urina avermelhada, turva e/ou malcheirosa

Quais são os sintomas de pielonefrite?

Além dos sintomas associados à cistite, as pielonefrites são infecções mais graves e também cursam com febre, dor lombar e vômitos e náuseas, além de prostração e queda do estado geral.

Quais são os fatores que aumentam a chance de infecção urinária?

  • Idade, principalmente pós-menopausa
  • Inicio de atividade sexual recente, ou atividade sexual frequente
  • Diabetes
  • Histórico de infecções urinárias de repetição
  • Em homens: intercurso anal e ausência de circuncisão são fatores de risco para infecção urinária

Como é feito o diagnóstico?

Ao perceber os sintomas de uma cistite ou pielonefrite, é necessária uma avaliação completa com um Urologista, que será capaz de realizar o diagnóstico baseado nos sintomas, antecedentes clínicos e exame físico do paciente. Existem alguns exames complementares que podem ser realizados para melhorar o diagnóstico:

  • Análise de Urina: comprova a presença de células inflamatórias na urina e consegue detectar produtos da infecção bacteriana sobre a bexiga (nitrito). Apresenta-se alterado em outras causas de dor abdominal, portanto é necessária avaliação médica cuidadosa na interpretação do exame.
  • Cultura de Urina: exame utilizado para direcionar o tratamento com antibiótico. Demora cerca de dois dias para o resultado, portanto é colhido apenas em casos específicos.
  • Ultrassonografia do aparelho urinário: Exame utilizado na triagem e diagnóstico de anomalias do trato urinário, como cálculos e dilatações do sistema urinário.

Não se preocupe se o médico responsável pelo seu atendimento inicial não solicitar qualquer desses exames. O diagnóstico de cistites não complicadas geralmente é clinico e não necessita de exames subsidiários para o tratamento. Mas lembre-se de entrar em contato com seu médico, mesmo que pelo telefone, para informá-lo de sua melhora e obter outras informações durante o tratamento.

Tratamento

O tratamento das cistites não complicadas não requer exames auxiliares. Deve ser prescrito tratamento antibiótico orientado pelo seu médico, que deve ser seguido rigorosamente até o final, mesmo que seus sintomas já tenham melhorado. Em caso de piora ou não melhora dos sintomas serão necessários os exames auxiliares acima descritos.

Em caso de febre ou outros sinais de pielonefrite, é necessário uma abordagem mais completa para tratamento do paciente, também com antibióticos, além da possibilidade da necessidade de internação hospitalar.

Como prevenir infecções urinárias?

  • Aumento da ingestão hídrica: Ingerir mais líquidos, preferencialmente acima de 2 litros/dia, e dessa maneira aumentar a quantidade de urina produzida pode reduzir a presença e a subida das bactérias pela uretra.
  • Criar o hábito de urinar antes e após relações sexuais: como já citado, existe uma facilidade da subida das bactérias pela uretra durante a relação sexual, dessa maneira, urinar após relações parece diminuir a chance de se contrair uma infecção urinária.
  • Evitar o uso de gel espermicida para controle de natalidade: comprovadamente o uso desse método aumenta a chance de infecções urinárias.
  • Prevenir, retardar e combater os efeitos da menopausa na flora vaginal: As alterações da composição das bactérias que naturalmente habitam a vagina após a menopausa podem ser responsáveis pelo aumento da infecção urinária em pacientes idosas. Dessa maneira, realizar consulta de rotina com seu Urologista pode diminuir a chance de infecção.
  • Suco de “Cramberry”: Existe uma crença de que o suco de Cramberry pode reduzir a chance de cistites. Na realidade nada está cientificamente comprovado, mas o beneficio do suco existe, aumentando a quantidade de líquido que se bebe diariamente.
  • Antibióticos profiláticos: após extensa avaliação de seu Urologista, na ausência de fatores anatômicos que expliquem as infecções e diante de inúmeras infecções tratadas, pode ser necessário o uso de pequenas doses de antibióticos que têm o poder de reduzir as infecções de repetição, quer diariamente, quer usando após a relação sexual.
  • Evitar a constipação intestinal: o ato da micção pode ser fortemente prejudicado pela compressão do reto repleto de fezes endurecidas além de facilitar a presença das bactérias causadoras da infecção urinária na região genital e sua ascensão em direção à bexiga.